PROFISSIONAIS DA RADIOLOGIA

RADIOLOGIA

terça-feira, 15 de novembro de 2011

PROVA DE RADIOLOGIA N° 7

1- A INCIDÊNCIA DE FERGUSSON É EXECUTADA PARA ESTUDO DE?

(A) CRÂNIO
(B) COTOVELO

(C) SACRO

(D) JOELHO

(E) PUNHO

2- A SEQUÊNCIA NORMAL DE RADIOGRAFIAS FEITA EM UMA UROGRAFIA EXCRETORA É:

(A) RADIOGRAFIA SIMPLES, 5 min, 10 min, 15 min, 25 min, PRE E PÓS MICCIONAL

(B) 5 min, 10 min, 15 min, 25 min, PRE E PÓS MICCIONAL

(C) 5 min, 10 min, 15 min, 25 min, SOMENTE PÓS MICCIONAL

(D) 5 min, 10 min, 15 min, 25 min

(E) N.R.A.


3- UM PACIENTE DEU ENTRADA NO HUAP-Nit, COM QUADRO DE ABDÔMEN AGUDO QUE CONSTA DAS SEGUINTES INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS?

(A) AP E PERFIL DO ABDÔMEN

(B) AP DE ABDÔMEN DEITADO, AP DE ABDÔMEN DE PÉ E PA DE TÓRAX DE PÉ

(C) AP E PERFIL DO ABDÔMEN E PA DE TÓRAX EM PÉ

(D) AP DE ABDÔMEN DEITADO E AP DE ABDÔMEN DE PÉ

(E) AP DE TÓRAX, PERFIL DE TÓRAX E ABDOME EM DECÚBITO DORSAL


4- UM PACIENTE COM SUSPEITA DE DERRAME PLEURAL À DIREITA. QUAIS AS INCIDÊNCIAS RADIOLÓGICAS QUE DEVEMOS FAZER NO EXAME RADIOLÓGICO DO TÓRAX?

(A) AP EM DECÚBITO DORSAL, PERFIL EM DECÚBITO DORSAL DO TÓRAX

(B) AP EM DECÚBITO DORSAL, PERFIL EM ORTOSTASTICA DO TÓRAX

(C) PA EM DECÚBITO DORSAL, PERFIL EM DECÚBITO DORSAL E H. LAURELL DIREITO

(D) PA EM ORTOSTASTICA, PERFIL EM OSTASTICA E H. LAURELL DIREITO

(E) PA EM DECÚBITO VENTRAL, PA EM DECÚBITO DORSAL E AP EM TRENDELEMBURG



5- PARA ESTUDO DE ARTICULAÇÃO-TEMPORO-MANDIBULAR, USAMOS AS INCIDÊNCIAS:

(A) INCIDÊNCIA DE SHÜLLER COMPARATIVA COM BOCA ABERTA E FECHADA SOMENTE DO LADO AFETADO

(B) INCIDÊNCIA DE SHÜLLER COMPARATIVA COM BOCA ABERTA E FECHADA DO LADO DIREITO E ESQUERDO

(C) INCIDÊNCIA DE THOMS COMPARATIVA COM BOCA ABERTA E FECHADA SOMENTE DO LADO FECHADO

(D) INCIDÊNCIA DE GAYNER HART

(E) INCIDÊNCIA DE STENVERS


6- O EXAME DE HISTEROSSALPINGOGRAFIA SERVE PARA ESTUDO DOS SEGUINTES ÓRGÃOS:

(A) ÚTERO E TROMPAS DE FALÓPIO

(B) GLÂNDULA LACRIMAL

(C) MAMAS

(D) OUVIDO MÉDIO E INTERNO

(E) ESTÔMAGO E ESÔFAGO


7- UM PACIENTE DEU ENTRADA NO HCPM COM SUSPEITA DE FRATURA DE BACIA, AP DE BACIA DEU 20 cm. PERFIL DE BACIA MEDIU 40 cm. A CONSTANTE DO APARELHO É 30. QUAL O KV NECESSÁRIO PARA ESTUDO DE BACIA EM AP?

(A) 110 KV

(B) 70 KV

(C) 100 KV

(D) 80 KV

(E) 90 KV


8- A INCIDÊNCIA DE TRANS-ORAL É USADA NO ESTUDO DE COLUNA:

(A) SACRA

(B) DORSAL

(C) LOMBAR

(D) CERVICAL

(E) COCCÍGEA

9- PARA ESTUDO DAS ARTICULAÇÕES COXO-FEMURAIS EM CRIANÇA, EM SUSPEITA DE LUXAÇÃO CONGÊNITA COXO-FEMURAL, DEVEMOS FAZER ESTUDO COM AS SEGUINTES INCIDÊNCIAS:

(A) AP E PERFIL DE BACIA

(B) AP E OBLÍQUA DIREITA DA BACIA

(C) AP E POSIÇÃO DE RÃ

(D) AP E OBLÍQUA ESQUERDA DE BACIA

(E) INCIDÊNCIA DE VON ROSEN

10- UM PACIENTE COM HISTÓRIA CLÍNICA DE BURSITE NA REGIÃO DO OMBRO DIREITO. QUAL INCIDÊNCIAS RADIOGRÁFICAS DEVEMOS FAZER?

(A) AP E PERFIL DE OMBRO

(B) PERFIL E ROTAÇÃO INTERNA

(C) PERFIL E ROTAÇÃO EXTERNA

(D) ROTAÇÃO INTERNA E EXTERNA DO OMBRO

(E) AP VERDADEIRO E HIRTZ


11- NA INCIDÊNCIA SEMI-AXIAL DO CRÂNIO (TOWNE CHAMBERLAIN), O DORSO SELAR É PROJETADO NO:

(A) OSSO TEMPORAL

(B) BURACO OCCIPITAL

(C) BURACO DA ÓRBITA

(D) CONDUTO AUDITIVO EXTERNO

(E) CONDUTO AUDITIVO INTERNO

12- A DIREÇÃO DO ROCHEDO É UM EIXO OBLÍQUO INCLINADO PARA:

(A) DENTRO E PARA FRENTE

(B) DENTRO E PARA TRÁS

(C) O LADO

(D) BAIXO

(E) CIMA


13- O EIXO DO ROCHEDO FORMA, COM O EIXO SAGITAL MÉDIO, UM ÂNGULO DE:

(A) 25º

(B) 30º

(C) 45º

(D) 55º

(E) 90º

14- NA RADIOGRAFIA ESPECIAL DO CRÂNIO (INCIDÊNCIA DE STENVERS), O RAIO CENTRAL FORMA COM O PLANO ORBITOMEATAL UM ÂNGULO DE:

(A) 90º

(B) 45º

(C) 17º

(D) 15º

(E) 12º


15- A ROTINA MÍNIMA DE PESQUISA DE IDADE ÓSSEA DEVE SER FEITA EM:

(A) TÓRAX, INCLUINDO ANDAR SUPERIOR DO ABDÔMEN

(B) ABDÔMEN, INCLUINDO BASE DE TÓRAX

(C) OMBRO, INCLUINDO HEMITÓRAX

(D) CRÂNIO, INCLUINDO PESCOÇO

(E) PUNHO, INCLUINDO MÃO


16- A INCIDÊNCIA DE RÃ É USADA PARA O ESTUDO DE SEGUINTE ARTICULAÇÃO:

(A) COXOFEMURAL

(B) SACROLOMBAR

(C) SACROILÍACA

(D) ESCAPULO -UMERAL

(E) ACROMIOCLAVICULAR


17- NA PROJEÇÃO SEMI-AXIAL DO CRÂNIO (WORMS-BRETTON), O RAIO CENTRAL FORMA UM ÂNGULO DE 35º COM O SEGUINTE PLANO:

(A) VERTICAL

(B) ORBITOMEATAL

(C) SAGITAL MÉDIO

(D) HORIZONTAL ALEMÃO

(E) FRONTOBIAURICULAR


18- A TÉCNICA CORRETA DA RADIOGRAFIA DE TÓRAX DE CRIANÇA DEVE SER REALIZADA COM:

(A) MAIOR KV E MAIOR mAs

(B) MAIOR MILIAMPERAGEM E MENOR QUILOVOLTAGEM

(C) MENOR TEMPO DE EXPOSIÇÃO E MENOR MILIAMPERAGEM

(D) MAIOR DISTÂNCIA FOCO-FILME E MENOR QUILOVOLTAGEM

(E) MAIOR DISTÂNCIA FOCO-FILME E MENOR QUILOVOLTAGEM


19- NOS CASOS DE OBSTRUÇÃO BRÔNQUICA, A RADIOGRAFIA DE TÓRAX É EFETUADA EM:

(A) PA E PERFIL

(B) PA E DECÚBITO LATERAL

(C) AP E DECÚBITO DORSAL

(D) PA COM INSPIRAÇÃO E EXPIRAÇÃO MÁXIMAS

(E) PA E DECÚBITO LATERAL COM RAIO HORIZONTAL

20- O ARTIFÍCIO A SER USADO NO EXAME DE UM PACIENTE PARA PESQUISA DE PNEUMOTÓRAX EM INSPIRAÇÃO COM ASPECTO NORMAL É:

(A) PA EM EXPIRAÇÃO

(B) PERFIL PENETRADO

(C) INCIDÊNCIA DE LAURELL

(D) PA E PERFIL EM DECÚBITO

(E) PA E PERFIL EM ESÔFAGO CONTRASTADO

21- A INCIDÊNCIA DOS SEIOS DA FACE PARA PESQUISA DE NÍVEL LÍQUIDO É:

(A) HIRTZ

(B) WATERS

(C) MENTO-NASO EM ORTOSTÁTICA

(D) LAURELL

(E) CHAMBERLAIN-TOWNE

22- NA INCIDÊNCIA DE VON ROSEN PARA PESQUISA DE LUXAÇÃO CONGÊNITA DO QUADRIL A ABERTURA DAS PERNAS EM RELAÇÃO AO PLANO MEDIANO SAGITAL TEM UM ÂNGULO DE:

(A) 90º

(B) 45º

(C) 30º

(D) 25º

(E) 15º

23- AO FAZER UMA RADIOGRAFIA DE TÓRAX EM UM RECÉM-NASCIDO CHORANDO, O TÉCNICO PROCURA REALIZAR A INCIDÊNCIA QUANDO A CRIANÇA:

(A) SE MOVE

(B) FICA QUIETA

(C) COMEÇA A CHORAR

(D) TEM A BOCA TAPADA

(E) SUSPENDE POR INSTANTES O CHORO

24- NA RADIOGRAFIA DA FOSSA INTERCONDILIANA DO FÊMUR (VISTA DO TÚNEL), O PACIENTE É COLOCADO NA SEGUINTE POSIÇÃO:

(A) DE PERFIL

(B) ORTOSTÁTICA

(C) DEITADO COM A COXA FLETIDA 90º

(D) PÓSTERO-ANTERIOR COM RAIO VERTICAL

(E) PERNA PARALELA A MESA, COXA FAZENDO ÂNGULO DE 45º COM MESA E RAIO VERTICAL

25- AO FAZER A RADIOGRAFIA DO CANAL ÓPTICO, A SUA PROJEÇÃO EM RELAÇÃO À ÓRBITA DEVE SER NO QUADRANTE:

(A) CENTRAL

(B) INFERIOR-EXTERNO

(C) SUPERIOR-EXTERNO

(D) INFERIOR-INTERNO

(E) SUPERIOR-INTERNO

26- NA RADIOGRAFIA EM PERFIL DA SELA TÚRCICA, O RAIO CENTRAL DEVE INCIDIR:

(A) 2 cm PARA DIANTE E 2 cm ACIMA DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO

(B) 10 cm ACIMA DO CONDUTO AUDITIVO EXTERNO

(C) NO SENTIDO CAUDAL

(D) A 15º PODÁLICO

(E) A 45º CEFÁLICO

27- A ESCANOMETRIA (JUAN FARILL) É UMA TÉCNICA UTILIZADA PARA O EXAME DE:

(A) COLUNA VERTEBRAL

(B) MEMBROS INFERIORES

(C) ARTICULAÇÃO SACRO - ILÍACA

(D) ARTICULAÇÃO COXOFEMORAL

(E) ARTICULAÇÃO TEMPOROMANDIBULAR

28- PARA DETERMINAR OS CORTES TOMOGRÁFICOS DA SELA TÚRCICA NO PLANO LATERAL, A REFERÊNCIA DEVE SER O SEGUINTE PLANO:

(A) TRANSVERSO

(B) BIAURICULAR

(C) ORBITOMEATAL

(D) SAGITAL MÉDIO

(E) HORIZONTAL ALEMÃO

29- NA RADIOGRAFIA AXIAL DO CRÂNIO (HIRTZ), O RAIO CENTRAL É PERPENDICULAR AO:

(A) CHASSI

(B) PLANO BIAURICULAR

(C) PLANO ORBITOMEATAL

(D) PLANO SAGITAL MÉDIO

(E) PLANO HORIZONTAL ALEMÃO

30- OS CORTES TOMOGRÁFICOS DO LARINGE ( SEGUNDO L. F. BOISSON ) SÃO FEITOS EM FONAÇÃO DE:

(A) a a a

(B) e e e

(C) i i i

(D) o o o

(E) u u u

31- PARA O ESTUDO DA DINÂMICA DA COLUNA CERVICAL, A ROTINA A SER SEGUIDA É:

(A) AP E P NORMAL, P EM EXTENSÃO E P EM FLEXÃO

(B) AP COM BOCA ABERTA E BOCA FECHADA E P

(C) AP E P EM ORTOSTÁTICA E EM DECÚBITO

(D) AP E OBLÍQUAS

(E) AP E P

32- NA DOCUMENTAÇÃO RADIOGRÁFICA DA ESCOLIOSE, A INCIDÊNCIA EM PERFIL DEVE SER FEITA:

(A) ENCOSTANDO O LADO CÔNCAVO NO CHASSI

(B) ENCOSTANDO QUALQUER LADO NO CHASSI

(C) ENCOSTANDO O LADO CONVEXO NO CHASSI

(D) EM DECÚBITO VENTRAL

(E) EM DECÚBITO DORSAL

33- PARA VISUALIZAÇÃO ADEQUADA DA ARTICULAÇÃO TIBIOTÁRSICA NA INCIDÊNCIA EM PERFIL EXTERNO, O PÉ DEVE FAZER ÂNGULO DE 90º COM A PERNA, COM RAIO CENTRAL PERPENDICULAR PENETRANDO:

(A) 2 cm ACIMA DO MALÉOLO TIBIAL

(B) 2 cm ABAIXO DO MALÉOLO TIBIAL

(C) 1 cm ABAIXO DO MALÉOLO TIBIAL

(D) 1 cm ACIMA DO MALÉOLO TIBIAL

(E) 2 cm ACIMA DO MALÉOLO FIBULAR

34- AO RADIOGRAFAR UMA FRATURA EXPOSTA DE PERNA, A INCIDÊNCIA EM PERFIL É FEITA:

(A) GIRANDO A PERNA

(B) GIRANDO O TRONCO E A PERNA

(C) GIRANDO O TRONCO DO PACIENTE

(D) OBLIQUANDO A PERNA E O CHASSI

(E) COLOCANDO A AMPOLA E O CHASSI PARALELOS AO MEMBRO

35- NA DOCUMENTAÇÃO DA ÁREA CARDÍACA, FAZ-SE A INCIDÊNCIA EM PA E NÃO EM AP. ESTE PROCEDIMENTO OCORRE PORQUE EM AP:

(A) REDUZ-SE A IMAGEM

(B) AMPLIA-SE A IMAGEM

(C) NÃO SE OBSERVA AUMENTO DE CAVIDADE

(D) O AUMENTO DE CAVIDADE É MASCARADO

(E) FICA DIFÍCIL A VISUALIZAÇÃO DA ÁREA CARDÍACA

36- OS OSSOS DO CARPO SÃO:

(A) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, ULNA, ASTRÁGALO, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE, PIRAMIDAL, PISIFORME

(B) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, ASTRÁGALO, UNCIFORME, PIRAMIDAL, PISIFORME, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE

(C) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE, GRANDE OSSO, UNCIFORME, PIRAMIDAL, PISIFORME

(D) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, ULNA, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE, GRANDE OSSO, UNCIFORME, PIRAMIDAL, PISIFORME

(E) SEMILUNAR, ESCAFÓIDE, ULNA, ASTRÁGALO, GRANDE OSSO, UNCIFORME, PIRAMIDAL, PISIFORME, TRAPÉZIO, TRAPEZÓIDE

37- NA RADIOGRAFIA EVENTUAL DE CRÂNIO PARA PESQUISA DE NÍVEL LÍQUIDO NO SEIO ESFENOIDAL, EM CASO DE FRATURA DO ESFENÓIDE, O PROCEDIMENTO CORRETO É:

(A) SEMI-AXIAL E OBLÍQUAS

(B) AP, PERFIL COM RAIO VERTICAL E AXIAL

(C) AP, PERFIL COM RAIO VERTICAL E OBLÍQUAS

(D) AP, PERFIL COM RAIO VERTICAL E SEMI-AXIAL

(E) AP, PERFIL COM RAIO VERTICAL E PERFIL COM RAIO HORIZONTAL


38- A ROTINA MÍNIMA, TECNICAMENTE CORRETA, DA DOCUMENTAÇÃO DE FRATURA DOS OSSOS PRÓPRIOS DO NARIZ É:

(A) PERFIL DIREITO

(B) PERFIL ESQUERDO

(C) OBLÍQUA DIREITA

(D) OBLÍQUA ESQUERDA

(E) PERFIL DIREITO E ESQUERDO

39- NO PACIENTE COM ABDÔMEN AGUDO IMPOSSIBILITADO DE FAZER RADIOGRAFIA EM ORTOSTÁTICA OU EM DECÚBITO LATERAL COM RAIOS HORIZONTAIS, A POSIÇÃO INDICADA, EM VEZ DAS REFERIDAS, DEVE SER:

(A) PA

(B) OBLÍQUA ANTERIOR DIREITA

(C) OBLÍQUA ANTERIOR ESQUERDA

(D) OBLÍQUAS ANTERIORES "D" E "E"

(E) PERFIL EM DECÚBITO DORSAL COM RAIO HORIZONTAL

40- NA UROGRAFIA INTRAVENOSA (EXCRETORA), A POSIÇÃO QUE PODE DEMONSTRAR NEFROPTOSE É:

(A) AP EM DECÚBITO DORSAL;

(B) AP EM ORTOSTÁTICA;

(C) OPE A 30º;

(D) OPD A 50º;

(E) AP EM DECÚBITO VENTRAL.

41- PARA ESTUDO DA IDADE ÓSSEA PELA TABELA DE GREULICH E PYLE, A MELHOR INCIDÊNCIA A SER UTILIZADA E A REGIÃO A SER EXAMINADA SÃO, RESPECTIVAMENTE:

(A) OBLÍQUAS E COMPARATIVAS DA MÃO

(B) AP DA MÃO E PERFIL DO PÉ

(C) PA, COMPARATIVA DAS MÃO E PUNHOS

(D) OBLÍQUA E COMPARATIVA DOS PÉS

(E) PERFIL DAS MÃOS E PÉS

42- UMA DAS INCIDÊNCIAS INDICADA PARA O ESTUDO DA ARTICULAÇÃO SACRO-ILÍACA É A DE:

(A) VAN ROSEN

(B) REVERCHON

(C) LAWRENCE

(D) FERGUNSON

(E) LOWENSTEIN

43- A INCIDÊNCIA QUE MOSTRA BEM A PNEUMATIZAÇÃO DAS MASTÓIDES É A DE:

(A) MAYER

(B) STENVERS

(C) SCHÜLLER

(D) GUILLEN

(E) TRANSORBITÁRIA

44- AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA ESTUDO DOS SEIOS DA FACE SÃO:

(A) FRONTO-NASO E MENTO-NASO

(B) FRONTO-NASO E PERFIL

(C) FRONTO-NASO E BRETTON

(D) MENTO-NASO E OBLÍQUAS

(E) MENTO-NASO E PERFIL

45- PARA O ESTUDO DA MANDÍBULA, A INCIDÊNCIA INDICADA É A DE:

(A) PERFIL

(B) CHAUSSÉ

(C) STENVERS

(D) BELLOT

(E) GUILLEN

46- NA RADIOGRAFIA SIMPLES DE ABDÔMEN EM AP, O RAIO CENTRAL DEVE INCIDIR:

(A) NA SÍNFISE PUBIANA

(B) NO MEIO DA LINHA QUE VAI DA SÍNFISE PUBIANA AO APÊNDICE XIFÓIDE

(C) NA CRISTA ILÍACA

(D) NO APÊNDICE XIFÓIDE

(E) NO HIPOCÔNDRIO DIREITO

47- A INDICAÇÃO DA INCIDÊNCIA ÁPICO-LORDÓTICA (INCIDÊNCIA DE FLEISCHNER) É UTILIZADA PARA O ESTUDO:

(A) DA MANDÍBULA

(B) DO ATLAS

(C) DA QUINTA VÉRTEBRA CERVICAL

(D) DOS ARCOS COSTAIS DO 1/3 MÉDIO

(E) DOS ÁPICES-PULMONARES

48- O RAIO CENTRAL NA INCIDÊNCIA EM PA DO POLEGAR INCIDE:

(A) NA PRIMEIRA ARTICULAÇÃO METATARSO-FALANGEANA

(B) NO MEIO DO ESPAÇO INTERFALANGEANO

(C) NA PRIMEIRA ARTICULAÇÃO METACARPO-FALANGEANA

(D) NO ESPAÇO MÉDIO ENTRE A TUBEROSIDADE UNGUEAL E A BASE DA FALANGE DISTAL

(E) NO MEIO DO ESPAÇO INTERFALANGEANO DO 5º DEDO

49- AS INCIDÊNCIAS DE ROTINA PARA EXAME DA ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL, COM INDICAÇÃO DE BURSITE SÃO:

(A) PERFIL E OBLÍQUAS

(B) AP EM SUPINAÇÃO E AP EM PRONAÇÃO DO MEMBRO SUPERIOR

(C) PA E OBLÍQUAS

(D) AP COM RAIO INCLINADO 20º E PERFIL

(E) AP COM RAIO INCLINADO 20º E AP EM SUPINAÇÃO

50- NAS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS DA MÃO, O ÂNGULO MÃO-FILME UTILIZADO É DE:

(A) 15º

(B) 25º

(C) 30º

(D) 45º

(E) 90º

51- A INCIDÊNCIA DE GAYNER-HART ESTÁ INDICADA PARA O ESTUDO:

(A) DO CANAL CARPEANO

(B) DA ARTICULAÇÃO ESCÁPULO-UMERAL

(C) DOS SEIOS DA FACE

(D) DA SELA TÚRCICA

(E) DA BASE DO CRÂNIO

52- NA INCIDÊNCIA DE GAYNER-HART, A ANGULAÇÃO MÉDIA DO RAIO CENTRAL UTILIZADA ESTÁ COMPREENDIDA ENTRE:

(A) 05º E 10º

(B) 10º E 20º

(C) 10º E 30º

(D) 15º E 20º

(E) 15º E 30º

53- O EXAME MAIS INDICADO PARA PESQUISA DA ETIOLOGIA DE UM DESNÍVEL DE BACIA DE:

(A) INCIDÊNCIA DE VAN ROSEN

(B) INCIDÊNCIA DE FERGUSSON

(C) TÉCNICA DE FARRIL

(D) TÉCNICA DE MÜLLER

(E) INCIDÊNCIA DE STECHER

54- PARA O EXAME DAS CLAVÍCULAS, A ANGULAÇÃO E O LOCAL DE PENETRAÇÃO DO RAIO CENTRAL SÃO, RESPECTIVAMENTE:

(A) 20ºCEFÁLICOS, PENETRANDO NO APÊNDICE XIFÓIDE

(B) 20ºCEFÁLICOS, PENETRANDO NO MANÚBRIO ESTERNAL

(C) 30ºPODÁLICOS, PENETRANDO NO MANÚBRIO ESTERNAL

(D) 30ºPODÁLICOS, PENETRANDO NO APÊNDICE XIFÓIDE

(E) 90º COM RAIO CENTRAL NO MANÚBRIO ESTERNAL

55- UMA TÉCNICA RADIOGRÁFICA, UTILIZANDO 12 mAs, 46 KV E DISTÂNCIA FOCO-FILME DE 1 METRO É EMPREGADA NO ESTUDO:

(A) DA COLUNA LOMBAR EM AP

(B) DO CRÂNIO

(C) DA BACIA

(D) DA COLUNA DORSAL EM PERFIL

(E) DO CALCÂNEO (AXIAL)

56- DEVE-SE APROVEITAR O FLOU CINÉTICO PARA O EXAME RADIOGRÁFICO:

(A) DA COLUNA CERVICAL E DORSAL

(B) DA COLUNA LOMBAR E SACRA

(C) DA ARTICULAÇÃO COXO-FEMURAL E JOELHO

(D) DA BACIA E COLUNA CERVICAL

(E) DO CRÂNIO E COLUNA CERVICAL

57- A MELHOR INCIDÊNCIA PARA ESTUDO DO BURACO ÓTICO É A DE:

(A) AP

(B) HIRTZ

(C) REVERCHON

(D) RHEESE DIREITA E ESQUERDA

(E) STENVERS

58- NAS INCIDÊNCIAS OBLÍQUAS PARA O EXAME DA PERNA, O ÂNGULO FORMADO DA PERNA COM O FILME RADIOGRÁFICO É DE:

(A) 30º

(B) 35º

(C) 45º

(D) 50º

(E) 90º

59- AS INCIDÊNCIAS QUE DEVEM SER INCORPORADAS À ROTINA MÍNIMA DE TÓRAX PARA O ESTUDO DAS LESÕES PLEURAIS SÃO:

(A) OAD E OAE COM PACIENTE A 45º

(B) DECÚBITO LATERAL COM O RAIO HORIZONTAL E PERFIL

(C) AP E DECÚBITO DORSAL

(D) OAD E OAE COM PACIENTE A 30º

(E) AP E OAE COM PACIENTE A 45º

60- A ANGULAÇÃO PODÁLICA DO RAIO CENTRAL, CORRETA NA INCIDÊNCIA DE REVERCHON, É DE:

(A) 10º

(B) 15º

(C) 20º

(D) 35º

(E) 45º




RESPOSTAS

1(C) / 2(A) / 3(B) / 4(D) / 5 (B) /6(A) / 7(B) / 8(D) / 9(E) / 10(D) / 11(B) / 12(A) / 13(C) / 14(E) / 15(E) /16(A) / 17(D) / 18(C) / 19(D) / 20(A) / 21(C) / 22(B) / 23(E) / 24(E) / 25(B) / 26(A) / 27(B) / 28(B) / 29(E) / 30(C) / 31(A) / 32(C) / 33(D) / 34(E) / 35(B) / 36(C) / 37(E) / 38(E) /39(E) / 40(B)/ 40(C) / 42(D) / 43(C) / 44(A) / 45(D) / 46(B) / 47(E) / 48(B) / 49(B) / 50(D) / 51(A) / 52(D) / 53(C) / 54(B) / 55(E) / 56(A) / 57(D) / 58(C) / 59(B) / 60(D).

Um comentário:

  1. muito bom, mas onde está as respostas para confimação

    ResponderExcluir